‘Se foi o menino, algo maligno entrou nele’, diz prima de PM assassinada

O mistério que cerca a morte do adolescente Marcelo Pesseghini, seus pais e outras duas
familiares continua. Para a prima de Andréia Pesseghini, a PM morta, não é possível acreditar que o jovem seja o culpado pela chacina: “Não vejo como uma criança pode ter feito isso”, disse Sandra Cordeiro Feitosa da Silva.
Segundo ela, caso a investigação comprove que o assassino seja, de fato, o menino de 13 anos, só haverá uma explicação: “Só se for uma coisa muito maligna que entrou nele, deu uma força e uma estratégia sobrenatural. Na lógica humana, a gente não tem como acreditar nisso”.
Sandra disse desconhecer a possibilidade de que Marcelo sabia dirigir. Para ela, uma outra explicação é mais correta para solucionar o crime: “Se teve denúncia por parte da minha prima, foi vingança”.
Deixe o seu comentário o Verdade Gospel.
Fonte: SRZD e Verdade Gospel 

0 comentários:

Postar um comentário