Marcelo Pesseghini teria convidado amigo para a chacina dos pais


Os últimos depoimentos de pessoas ligadas à família assassinada na Brasilândia, em São Paulo,
apontam cada vez mais a autoria de Marcelo Pesseghini, de 13 anos, nos homicídios. Um amigo do adolescente afirmou, em depoimento, que Marcelo lhe telefonou no dia anterior ao crime e o convidou para participar da chacina e fugir em seguida.
De acordo com a polícia, o garoto teve uma crise nervosa quando soube da tragédia ocorrida na casa do colega. Segundo depoimentos de parentes, Marcelo também teria apontado a arma do pai para a família inteira durante uma reunião em casa.
Um familiar disse ainda que, em outra ocasião, o menino pegou novamente a arma do pai e ameaçou “atirar para matar” se a pessoa que tocava a campainha da residência fosse um intruso.
Uma vizinha contou que via sempre Marcelo com uma arma de brinquedo na calçada. Ela relatou que o jovem atingia passarinhos e mirava em pessoas que passavam na rua. Alguns relatos ainda dão conta de que Marcelo teria dito a colegas, algumas semanas antes da chacina, que tinha vontade de matar os pais e ser um matador de aluguel.
A polícia quer conversar com outro aluno que estudava com Marcelo Pesseghini e o motorista de uma van escolar que levava o garoto para o colégio às vezes. A entrega dos laudos da perícia, que ficariam prontos nesta sexta, também foi prorrogada.
Deixe o seu comentário no BLOG DO MEB.
Fonte: SRZD e Verdade gospel

0 comentários:

Postar um comentário