Marcha para Jesus em São Paulo teve 200 mil participantes, diz Datafolha


Organização da Marcha estima 2 milhões de participantes, Polícia divulgou 500 mil.
Segundo o Datafolha, Instituto de Pesquisas ligado ao jornal Folha de São Paulo, a 21ª Marcha para Jesus reuniu em 2013 aproximadamente 200 mil pessoas. Isso indicaria que o número de participantes caiu 40% em relação à edição de 2012.
No ano passado, primeira vez que fez o levantamento, o Datafolha indicava que estavam reunidas 335 mil pessoas.
Obviamente esses números contrastam com o divulgado pela Polícia Militar de São Paulo, que estima um público de 500 mil pessoas participando  ao longo do evento que iniciou às 10h e terminou por volta das 23h.
O apóstolo Estevam Hernandes, fundador da igreja Renascer em Cristo, que organiza a marcha desde 1992, novamente fez uma avaliação bem diferente.  Ano passado, Hernandes anunciou que o número de participantes passou de 5 milhões.
Este ano, a organização estima a participação em dois milhões, números que foram divulgados por grande parte da imprensa, incluindo a Rede Globo, que dedicou cerca de dois minutos para o evento no Jornal Nacional. Aliás, o telejornal deu espaço ao pastor Silas Malafaia, que organiza a Marcha no Rio, e não a Estevam.
O pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo traçou paralelos do movimento com o momento politico do Brasil, marcado por manifestações nas ruas do país.
Na tentativa de traçar um perfil dos fiéis, o Datafolha divulgou que os participantes da marcha este ano pertencem às igrejas Renascer em Cristo (31%), Assembleia de Deus (19%), Batista (6%) e Quadrangular (5%). A idade média dos que marcharam é de 31 anos. No quesito escolaridade, a pesquisa indica que os participantes possuem ensino médio (56%) e superior (34%). Ao indagar sobre a contribuição mensal para as igrejas, o valor médio ficou em R$ 220.
Bispa Sônia Hernandes.
Marcha para Jesus X Parada Gay
Bispa Sônia discursa para a multidão durante a 21ª edição da Marcha Para Jesus SP
Embora os números do Datafolha sejam bem menores que os da organização, mês passado o instituto também estimou o público presente na Parada Gay de “apenas” 220 mil. Isso indicaria uma diminuição de 18,5% em relação aos participantes em 2012. A organização divulgou que seriam 3 milhões. Ou seja, em ambos os casos o Datafolha apontou uma redução no total de pessoas nos dois maiores eventos anuais nas ruas do país e que defendem interesses tão diferentes.
Curiosamente, na véspera do evento o pastor Malafaia usou os números do DataFolha para   ironizar o público da Parada Gay em São Paulo. Usou seu site para se queixar do grande espaço dado pela imprensa para o evento.
“O que estamos vendo é que o ativismo gay cada dia que passa perde sua força porque a sociedade começa a observar os verdadeiros propósitos deste segmento social. O ativismo gay se utiliza de números mentirosos para pressionar a sociedade, os políticos e as autoridades em geral a fim de obter sucesso em seus intentos com objetivo de ter privilégios em detrimento de todo conjunto da sociedade”, afirmou.
Pastor Marco Feliciano, que também esteve presenta na Marcha para Jesus de SP, onde foi ovacionado, também se manifestou pelas redes sociais. Usando sua conta no Twitter disse que, para o governo Dilma, os evangélicos eram “invisíveis” e que dava mais atenção ao publico LGBT.
O deputado se disse incomodado ao ver Dilma Rousseff se encontrar com representantes de movimentos de jovens e ativistas gays. Reiterou que até o momento, ele não foi chamado pela presidente para conversar sobre todas as polêmicas que envolveram o seu nome desde que foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara com o apoio do PT, que depois pediu sua saída.
Não por acaso, o Ministro Gilberto Carvalho foi vaiado na Marcha ao dizer que representava Dilma. Carvalho, aliás, ano passado gerou enorme polêmica ao dizer que o PT iria “fazer uma disputa ideológica com os líderes evangélicos pelos setores emergentes!”.
Fonte Gospel Prime 

0 comentários:

Postar um comentário