Marina diz que Feliciano não deve ser criticado por ser evangélico e sim por sua trajetória política


A ex-senadora, Marina Silva, novamente comentou sobre a eleição do deputado federal
e pastor Marco Feliciano, que foi escolhido para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados. Na sua crítica Marina Silva falou que a religião não impede Feliciano de assumir o cargo, mas oque impede é usa trajetória política.
“Eu acho que a gente não pode fazer uma discussão baseada na religião dos deputados ou de quem não tem religião. Você tem que analisar a posição política, o deputado tem de ser olhado pelas suas posições políticas”, disse Marina.
Marina realizou o comentário durante um ato de coleta de assinaturas para a fundação de seu novo partido, a Rede de Sustentabilidade, que acontecia em São Paulo nesta quinta-feira (14), mas Marina Silva não criticou apenas Feliciano, ela também falou contra a eleição do produtor rural Blario Maggi (PR-MT) como presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado.
A crítica de Marina está relacionada às trocas realizadas pelo governo do PT. “Para ampliar sua base, o governo acaba negociando as comissões para pessoas que não têm identidade histórica com o mérito delas”.
FONTE O VERBO

0 comentários:

Postar um comentário