Manifestação provocada por ativistas do movimento LGBT quase acaba em caso de polícia

Nesta segunda-feira (11) um grupo de ativistas do movimento LGBT,
fez um protesto em frente da Igreja Catedral do Avivamento, em Ribeirão Preto, onde se encontrava pastor e deputado federal Marco Feliciano. O motivo do protesto foi a eleição onde o pastor foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados.
A manifestação quase acabou em caso de polícia depois que um dos manifestantes agrediu Ana Faria, que faz parte da equipe de produção do Programa Marco Feliciano.
O agressor foi identificado como Fabio Jesus, que tem ligação ao Partido dos Trabalhadores (PT), já foi candidato a vereador pelo partido em 2012, é presidente da ONG Arco-Íris, uma organização do movimento LGBT que promove a parada gay em Ribeirão Preto e também presidi o Fórum Regional da Diversidade Sexual na mesma cidade.
O assessor de comunicação do pastor Marco Feliciano, Wellington de Oliveira, acredita em um complô de movimentos LGBTs financiados pelo PT, que pretendem tirar o foco da mídia de dois mensaleiros que assumiram importantes comissões mesmo julgados e condenados.
“Não tenho dúvidas que o PT esta por trás de toda esta mobilização. A mídia que estão fazendo do tema é para tirar o foco do Governo, mas isso poderá prejudicar as pretensões da presidente de ter o nosso apoio em 2014”, disse o assessor, esposo de Ana Faria, que segundo ele, sofreu apenas um hematoma e passa bem.
Assista:
 
Fonte O Verbo

0 comentários:

Postar um comentário