Missionário irlandês é libertado por sequestradores

O padre missionário irlandês Michael Sinnott, sequestrado desde 11 de outubro na ilha de Mindanao, nas Filipinas, foi libertado hoje, confirmou o chanceler da Irlanda, Michéal Martin. O ministro afirmou que a libertação do religioso católico, de 79 anos, foi a bem-sucedida conclusão de um enorme esforço diplomático dos governos filipino e irlandês. Segundo o chanceler, não houve pagamento de resgate. Autoridades temiam que o padre pudesse sofrer um ataque cardíaco fatal, porque ainda estava se recuperando de cirurgia para instalação de um marca-passo. Houve rumores persistentes de que ele tinha morrido em cativeiro. Alguns líderes do governo filipino responsabilizaram pelo sequestro a Frente Moro de Libertação, um grupo separatista que lutou durante décadas para criar um Estado muçulmano no sul do país predominantemente católico. Mas os rebeldes negaram envolvimento no sequestro e disseram que também usariam seus contatos para buscar a libertação do padre. O negociador do governo filipino com os rebeldes, Rafael Seguis, disse que a frente Moro persuadiu os sequestradores a entregar o padre. Um grupo de seis homens armados capturou o missionário irlandês em 11 de outubro na região de Pagadian, cerca de 830 km a sudeste de Manila. Foi o terceiro sequestro de um sacerdote irlandês nas Filipinas na área de Lanao e Mindanao Ocidental nos últimos 12 anos.

0 comentários:

Postar um comentário