Bangladesh Pastor é obrigado a se esconder por causa de ameaças


Suzil Jiwon Talugda, pastor da Igreja Batista Modyo Lemazuri, no distrito de Khagrachari Hill, 300 km a sudeste de Dhaka, tem procurado abrigo na casa do pastor Agamuzi Chakma desde 9 de setembro, para escapar dos olhos observadores do United People’s Democratic Front (UPDF), um partido político sediado no distrito de Chittagong. O UPDF tem agredido os cristãos em Khagrachari durante os últimos dois anos.
A situação desagradável da igreja batista Modyo Lemazuri começou em 6 de abril de 2007, quando integrantes do UPDF ameaçaram enterrar os cristãos a menos que eles retornassem para o budismo e entregassem suas Bíblias e hinários num prazo de nove dias. Dez se reconverteram ao budismo, mas muitos deixaram suas casas e famílias, somente para manter sua fé. O incidente levou ao fechamento da igreja no mesmo ano.
Este ano, o pastor Talugda buscou se aconselhar com seus líderes da comunidade de igrejas batistas em Bangladesh, com a intenção de reabrir sua congregação. De 85 famílias que frequentavam a igreja em 2007, o número caiu para cerca de 17 famílias quando voltaram a se reunir na casa do cristão Dimorkanti Chakma.
Assim que eles se encontraram, o UPDF ligou para todos os cristãos e os proibiu de praticar sua fé, ordenando que eles se tornassem monges budistas ou seriam mortos. O pastor Agamuzi Chakma, que já havia sido agredido pelo UPDF em 2004, lamenta que cinco cristãos tenham cedido à pressão, incluindo o filho do pastor Talugda, de 22 anos. No mesmo mês, os pastores realizaram uma reunião com os líderes do UPDF em favor do pastor Talugda, que já deixou o vilarejo em que morava por temer por sua vida.
A reunião mostrou ser um grande risco para o pastor Talugda, quando este tentou retornar para sua casa no dia 14 de setembro de 2009. Por volta da meia-noite, ele recebeu uma mensagem SMS de sua esposa, dizendo que integrantes do UPDF foram até sua casa e revistaram todos os seus pertences. O pastor Talugda foi forçado a dormir na casa de um amigo para não se arriscar.
Com a saída do pastor Talugda do vilarejo, o crescimento espiritual dos cristãos está estagnado, pois eles pararam de se reunir para cultuar. “Os cristãos aqui não sabem se praticam o cristianismo ou o budismo. Eles não podem ser cristãos, mas não estão dispostos a voltar para o budismo”, declara o pastor Chakma. Apesar disso, os líderes afirmam que o número de cristãos tem aumentado nas áreas não alcançadas pelo UPDF.

Fonte: Missão Portas Abertas

0 comentários:

Postar um comentário