EUA inserem Índia em lista de países de grave intolerância religiosa

Andava passeando por alguns blogs, quando me deparei com o texto escrito no Blog do Juca Kfuori, um comentarista esportivo que tem seu blog hospedado no portal UOL. No artigo, ele critica ferozmente jogadores de futebol cristãos que tem estampado em camisetas e gestos o seu amor por Jesus. Vou colar aqui apenas algumas partes, e se vc quiser ler o artigo por inteiro, clique no endereço no final da matéria....
Respeito que preservo, apesar de, e com o perdão por tamanha digressão, me pareça pecado usar o nome em vão de quem nada tem a ver com futebol, coisa que, se bem me lembro de minhas aulas de catecismo, está no segundo mandamento das leis de Deus.
E como o santo nome anda sendo usado em vão por jogadores da seleção brasileira, de Kaká ao capitão Lúcio, passando por pretendentes a ela, como o goleiro Fábio, do Cruzeiro, e chegando aos apenas chatos, como Roberto Brum.
..Como as da enlouquecida pastora casada com Kaká, uma mocinha fanática, fundamentalista ou esperta demais para tentar nos convencer que foi Deus quem pôs dinheiro no Real Madrid para contratar seu jovem marido em plena crise mundial.
Ora, há limites para tudo.
É um tal de jogador comemorar gol olhando e apontando para o céu como se tivesse alguém lá em cima responsável pela façanha, um despropósito, por exemplo, com os goleiros evangélicos, que deveriam olhar também para o alto e fazer um gesto obsceno a cada gol que levassem de seus irmãos...

0 comentários:

Postar um comentário